Angina microvascular: por que as mulheres não devem ignorar a dor no peito e fadiga

Angina microvascular: por que as mulheres não devem ignorar a dor no peito e fadiga
Uma dor aguda, uma sensação de peso ou dor no peito que pode surgir de vez em quando, muitas vezes é decorrente de fatores banais mas, outras vezes, pode ser mais grave.

A angina microvascular é um fator desencadeante de dor torácica cardíaca, especialmente preocupante e, muitas vezes é diagnosticada erroneamente porque não se manifesta da mesma forma como quando há obstrução nas artérias cardíacas. Esse fato pode levar diagnósticos equivocados.

"É preocupante porque o problema pode não ser reconhecido. Não aparece em exames tradicionais, o que pode levar a um diagnóstico tardio se os médicos considerarem a dor no peito como não relevante", diz Erin Michos, MD, diretor associado de cardiologia preventiva no Ciccarone Center for Prevention of Heart Disease.

Essa dor torácica em uma das artérias do coração é mais comum em mulheres do que em homens, diz Michos.

O que é a angina microvascular?

A angina é qualquer dor torácica que ocorre quando o músculo cardíaco não recebe sangue suficiente para satisfazer sua demanda de trabalho, uma condição chamada isquemia.

A fonte mais comum de angina é a doença coronariana obstrutiva, que ocorre quando uma das artérias do coração está comprometida. Pessoas com este tipo de angina podem sentir dor no peito durante o exercício ou esforço, se não for suficiente sangue para o músculo cardíaco durante o trabalho.

Mas, de acordo com a American Heart Association, até 50 % das mulheres com sintomas de angina não possuem qualquer artéria com algum grau de  obstrução. "Elas podem sentir  também, muito falta de ar, fadiga, extrema, dor aos esforços nas costas, mandíbula ou braços sem dor no peito. Podem ter náuseas e indigestão", diz Michos.

Essas mulheres devem ser avaliadas para angina microvascular. A angina microvascular pode ocorrer quando as artérias mais ínfimas do coração não são capazes de fornecer sangue rico em oxigênio devido a espasmos ou disfunção celular.

Pode ser difícil diagnosticar a angina microvascular porque uma cinecoronariografia, não mostrará obstrução ou bloqueio nessas pequenas artérias, e sintomas como náuseas e indigestão imitam outras doenças.

Muitas vezes, seu médico realizará um teste de estresse para monitorar a função do coração durante o exercício para fazer um diagnóstico.

Quando o diagnóstico é incerto após um teste de esforço típico, existem testes avançados que podem ser realizados para avaliar a doença microvascular. Isso inclui um tipo especial de teste de estresse usando ressonância magnética cardíaca ou técnica mais específica na cineangiocoronariográfica.
Fonte: http://www.hopkinsmedicine.org/health/healthy-woman/conditions/microvascular-angina-why-women-shouldnt-ignore-chest-pain-and-fatigue

Gostou? Então compartilhe:

Exames Relacionados

Veja os exames relacionados a esta matéria

Eletrocardiograma

Eletrocardiograma

Exame destinado a registrar a atividade elétrica responsável pelos batimentos do coração.

Veja mais
MAPA

MAPA

Exame destinado a registrar diversas medidas predeterminadas da pressão arterial durante 24 horas.

Veja mais
Teste Cardiopulmonar

Teste Cardiopulmonar

A Cardiométodo disponibiliza este exame tanto em esteira como na bicicleta. É a forma mais completa para avaliação e prescrição do exercício

Veja mais

POSTAGENS RELACIONADAS

Veja mais novidades sobre este assunto

Poderá o colesterol ruim estar ligado a um menor desempenho cognitivo?

Poderá o colesterol ruim estar ligado a um menor desempenho cognitivo?

Pressupõe-se que a flutuação do colesterol poderia impactar negativamente o desempenho cognitivo no idosos. Contudo, embora chamado de "mau" o colest...

Leia mais
Comer chocolate é bom para o coração?

Comer chocolate é bom para o coração?

Sim! Comer chocolate com moderação, pode ser benéfico. ...

Leia mais
Fatos sobre Mulheres e a doença cardíaca

Fatos sobre Mulheres e a doença cardíaca

A doença cardíaca é a principal causa de morte entre as mulheres nos Estados Unidos, respondendo por uma em cada quatro mortes .Embora a doença de c...

Leia mais